“Em menos de 24 horas úteis vamos receber uma meta totalmente diferente e isso vai para votação do Congresso Nacional. Não devemos permitir que isso seja votado amanhã, principalmente porque estamos com uma crise no Ministério do Planejamento, que é condutor desse processo”, disse.